Terça-feira
11 de Dezembro de 2018 - 
O importante não é vencer todos os dias, mas lutar sempre.

Controle de Processos

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Guarujá, SP

Máx
30ºC
Min
21ºC
Predomínio de

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,91 3,91
EURO 4,46 4,46

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Últimas Notícias

EJUS inicia curso sobre o Estatuto da Pessoa com Deficiência

Curso é ministrado por Luiz Eduardo Alves de Siqueira.           A Escola Judicial dos Servidores (EJUS) do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo realizou ontem (10) a aula inaugural do curso Estatuto da Pessoa com Deficiência, ministrado pelo assistente jurídico Luiz Eduardo Alves de Siqueira, sob a coordenação dos servidores Walter Salles Mendes e Miguel da Costa Santos.         Com 1.068 alunos inscritos nas modalidades presencial e a distância, o curso é promovido na sede da EJUS em quatro aulas, com o objetivo de propiciar estudos a respeito dos principais aspectos do Estatuto da Pessoa com Deficiência, entre eles, o conceito e os direitos da pessoa com deficiência, inclusão no trabalho, acessibilidade, Ciência e Tecnologia, crimes e infrações administrativas relacionadas, alterações no Direito Privado e questões práticas do Tribunal.         A abertura dos trabalhos foi feita pela juíza Ana Claudia Dabus Guimarães e Souza de Miguel, assessora da Presidência  para a área de Recursos Humanos. Ela lembrou que o TJSP possui uma Comissão de Acessibilidade e Inclusão, composta por magistrados e servidores com e sem deficiência, responsável pela Campanha de Acessibilidade, lançada para conhecer e sensibilizar o público interno para a situação dos colegas que possuem alguma deficiência, com o objetivo de estabelecer uma Política Institucional de Acessibilidade. A juíza salientou a preocupação do TJSP com o tema, mencionando a Resolução nº 230/16 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que orienta as atividades do Poder Judiciário em relação à acessibilidade e inclusão, em obediência à Convenção Internacional sobre o Direito das Pessoas com Deficiência e ao Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei nº 13.146/15), que visam assegurar e promover em condições de igualdade o exercício dos direitos dessas pessoas.         Ana Claudia de Miguel ressaltou que, de acordo com dados do IBGE, quase 24% da população brasileira é composta por pessoas que têm algum tipo de deficiência, o que reforça a necessidade de adaptação da sociedade às mais variadas limitações que se apresentam. “Essa é mais uma oportunidade de informação e debate visando eliminar barreiras, sejam elas arquitetônicas, tecnológicas, atitudinais ou de comunicação, para possibilitar a inclusão plena da pessoa com deficiência, seja ela servidor, magistrado, advogado, parte ou testemunha. Precisamos criar mecanismos que possibilitem a acessibilidade e a inclusão plena da pessoa com limitação, porque todos nós temos limitações de toda ordem”, frisou.         Luiz Siqueira iniciou sua exposição salientando que “o propósito de estudar o Estatuto da Pessoa com Deficiência é sobretudo analisar a mudança do papel da pessoa com deficiência, de mero objeto de proteção a sujeito de direitos, nas mais variadas áreas”. Ele explanou acerca das normas relacionadas ao direito dessas pessoas, incluindo os tratados internacionais a respeito. E lembrou que o Estatuto da Pessoa com Deficiência tem status de emenda constitucional e não revogou as leis anteriores que tratam de pontos específicos, como libras e uso de cão-guia. Na sequência, discorreu acerca dos princípios gerais do Estatuto, direitos fundamentais da pessoa com deficiência e inclusão no trabalho, analisando a questão sob a ótica da aplicação do Estatuto no TJSP.          A mesa de trabalhos também teve a participação dos servidores Ronaldo Gomes da Silva, Edson William Alvarenga e Elisângela Ferreira Navarro, do Centro de Treinamento e Desenvolvimento em Estenotipia do TJSP, que realizaram a legendagem da palestra para viabilizar o acompanhamento pelos alunos com deficiência auditiva.                    imprensatj@tjsp.jus.br
11/10/2018 (00:00)
Visitas no site:  15421
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia